Erro
  • Erro ao carregar dados do sinal web.

Isabel Kerdudo: “Há pequenas manifestaçons culturais para nos achegarmos a Portugal, ainda que diminuíssem as ajudas”

Isabel Kerdudo: “Há pequenas manifestaçons culturais para nos achegarmos a Portugal, ainda que diminuíssem as ajudas”

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar
no Facebook Compartilhar
no DoMelhor

FB_IMG_1454596940476Aumenta significativamente o número de eventos que pretendem furar na fronteira galego-portuguesa. Um deles é promovido polos Departamentos de Galego e Português, junto com a Equipa de Dinamizaçom da Língua Galega, da Escola Oficial de Idiomas (EOI) de Santiago de Compostela. Consiste em promover a música mais atual da galiza e protugal junto dos alunos e alunas deste centro através de umha iniciativa que, no próximo outono, reunirá na galiza as e os artistas mais votados. conta-no-lo Isabel Kerdudo, responsável pola EDLG deste centro educativo.

**

O que é Arritmar e que pretende?

Arritmar é um certame que tem como objetivo dar a conhecer a música e a poesia made in Galiza e Portugal entre a nossa comunidade educativa no sentido amplo da palavra. Assim podem participar nas votaçons, para além do alunado e do professorado da EOI de Santiago, familiares, amigos e amigas.

Tem umha parte de promoçom musical e outra poética?

Assim é! Começamos com a seleçom musical que deu 3 finalistas de cada categoria. Eis o resultado das votaçons: pola Galiza Cantiga da Montaña (1º prémio, de Xabier Díaz & Adufeiras de Salitre), Soa (Coanhadeira) e Como eu canto (Ses); e por Portugal, Medusa (1º prémio, Capicua), Irmão de Sangue (Luísa Sobral) e Insular (Aline Frazão). Seguiu-se a seleçom poética, finalizada recentemente. Pola Galiza, o poema ganhador foi “O corazón” (María do Cebreiro, O deserto), seguido de Engano (Baia Fernández de la Torre, Unha viaxe de ruminantes) e “dezaseis” (María Lado, Oso, mamá, si?).

Por Portugal, o poema ganhador foi “Não sei, minha filha…” (José Ricardo Nunes, Andar a par); o 2º posto correspondeu a “Eva e Lilith” (Nuno Júdice, Convergência dos ventos), e o 3º a “Não sei como dizer, e todavia” (Ana Luísa Amaral, E todavia). A declamaçom de muitos deles por alunos e alunas da escola pode ver-se aqui.

Como é feita a seleçom?

Escolhemos os trabalhos publicados e editados em 2015 entre umha grande variedade de textos e músicas. A partir das propostas do júri composto por membros do EDLG e do professorado, o público emite o seu voto num formulário on line escolhendo 3 temas ou poemas.

Podes-nos dizer algo sobre outras poesias e cançons selecionadas?

A verdade é que aparecêrom numerosos trabalhos, alguns de autores e artistas conhecidos e reconhecidos, mas também de novos talentos, como se pode comprovar: galegas e portuguesas. Entre os poetas pré-selecionados podemos citar Maria do Cebreiro, Luz Campello, Enma Pedreira, Manolo Rivas, Gonzalo Hermo, Franciso Niebla, Rita Natálio, Nuno Júdice ou Sónia Baptista entre outros muitos.

Qual a cançom de que mais gostaste, se se pode saber?

Tenho que confessar que nom foi fácil escolher entre os temas musicais, já que existia umha enorme variedade, nom só no estilo musical, senom na interpretaçom. Podo dizer que votei por grupos tradicionais, mas também por temas rokeiros ou punk.

Acabará numha gala de prémios, nom é?

Este certame é umha boa oportunidade para dar a conhecer a riqueza musical e poética que nos rodeia, tanto na Galiza como em Portugal. Através da seleçom, figemos umha aproximaçom a diferentes manifestaçons culturais e poderemos conhecer ao vivo os finalistas numha gala que terá lugar numha sala da nossa cidade nos meses de outono este ano, ainda que a data exata esteja sem determinar.

Faltam eventos assim no mundo galego.

Cuido que se estám a promover pequenas manifestaçons culturais para nos achegarmos a Portugal, ainda que diminuíssem fortemente as ajudas a festivais e desaparecêrom grandes programas de promoçom musical como Sons da diversidade, que permitiam gozar de concertos no nosso país.

Na ámbito musical existe muita relaçom ao nível dos artistas, mas nem tanto ao nível da promoçom da música contemporánea?

Na atualidade poucos artistas podem viver exclusivamente da sua música, poucas empresas de promoçom musical sobrevivêrom à crise e nom existe um status de intermitente do espetáculo que ampare o seu trabalho profissional, assim que a maioria devem compaginar o seu labor de criaçom com outra atividade profissional. É umha pena, porque a Galiza tem muito talento que se deveria fomentar a partir das instituçons.

Que umha EOI se envolva diretamente na organizaçom de um evento assim é um sopro de ar fresco para a Normalizaçom Lingüística? Poderia ser um modelo a imitar por outras EDLG?

A ideia surgiu dentre professores apaixonados pola cultura das terras irmás, concretamente do diretor da escola, Gonzalo Constenla, e graças à implicaçom dos Departamentos de Galego e de Português. Ademais, a projeçom para fora é importante, tanto para a escola como para a promoçom cultural através das redes, já que as votaçons se realizam on-line e se espandem polas redes sociais. Depois do concurso de curtas cinEOI Corunha, poderia ser o início de umha dinámica que se prolongue no tempo.

 

 

O post Isabel Kerdudo: “Há pequenas manifestaçons culturais para nos achegarmos a Portugal, ainda que diminuíssem as ajudas” aparece primeiro no Portal Galego da Língua - PGL.gal.

Actualidade da Língua no PGL

  • Mordida - 0,00 €
    thumb

    A comida é o espaço em que se encontram o mercado e as tripas. Eugénio Outeiro reflecte sobre esta realidade no que é o seu segundo...

  • Abadessa, oí dizer - 10,00 €
    thumb

    Relatos eróticos de escritoras da Galiza.

    Autoras: Carmen Blanco, María Lado, Verónica Martínez, Raquel Miragaia, Teresa Moure, Emma Pedreira, Isabel Rei Samartim, Susana Sánchez Arins,...

  • O futuro é para sempre - 16,00 €
    thumb

    O futuro é para sempre. Experiência, expectativa e práticas possíveis tem por objectivo principal partir em busca de práticas possíveis, a partir das...