A AGAL elegeu um novo Conselho para fortalecer a oportunidade da Lusofonia para a cidadania galega

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar
no Facebook Compartilhar
no DoMelhor

A Associaçom Galega da Língua (AGAL) elegeu hoje os integrantes do novo Conselho que dirigirá a entidade reintegracionista os vindouros quatro anos. Apenas concorreu umha candidatura, encabeçada por Miguel R. Penas, a qual foi referendada polos 97,53% dos votos emitidos na assembleia.

Desde modo, Miguel R. Penas converte-se na sexta pessoa em assumir a Presidência da AGAL desde a constituiçom desta em 1981 e sucede no cargo o filólogo Valentim Fagim. No que di respeito do resto de responsabilidades no novo Conselho, a Vice-Presidência corresponde a Valentim Fagim, a Secretaria a Manuel López, a Tesouraria a Ângelo Lodeiro e as vogalias a Noemi Pinheira, Manuel César Vila, Gerardo Uz, Eduardo Maragoto, Jurjo Martins e Xemma Fernández.

O objetivo principal de Miguel R. Penas para AGAL nos próximos quatro anos é continuar o trabalho realizado na última etapa para fortalecer o discurso da oportunidade: a oportunidade do galego para a Galiza, com todas as portas que se abrem para a cidadania galega polo simples facto de nascerem neste país e terem esta língua, e a oportunidade da Lusofonia para a nossa língua.

Neste sentido, terám caráter central atuaçons destinadas à promoçom social e à divulgaçom pedagógica da estratégia luso-brasileira para o galego e para a nossa cultura. «Estamos convictos de ser umha estratégia graças à qual ganhamos todas e todos. O seu destino final tem que ser alcançar a centralidade social. Para todo isto é preciso construir pontes que podam ser transitadas». Precisamente, esta ideia é a que levou a candidatura a se apresentar sob a alcunha «Pola Ponte».

Com estas premissas, às áreas de trabalho que a associaçom tivo nos últimos anos —Administrativo-económica, Informática, Editorial, revista Agália e Comunicaçom— somou-se-lhe no último período umha área de Cursos e Ateliês, e o novo Conselho criará umha área de Audiovisual.

 

 

O novo presidente

@miguelpenas

Miguel Rodrigues Penas (Donostia, 1976), licenciado em História pola USC, é um compostelano descendente de arçuáns, nascido, por acaso, na emigraçom. Tivo os primeiros contactos com o reintegracionismo na etapa universitária, onde também militou nos CAF. Acabados os estudos começou a trabalhar em Ourense em temas de comunicaçom e internet numha produtora de conteúdos para a rede.

Nesta cidade morou entre 2001 e 2006, entrando em contacto com pessoal da AGAL. Em fevereiro de 2002 começou a colaborar no redesenho do primeiro sítio web da AGAL para transformá-lo no que hoje em dia é o Portal Galego da Língua (www.pglingua.org), trabalhando tanto na criaçom de conteúdos como na parte gráfica do novo sítio. Com o PGL colaborou na coordenaçom geral e posteriormente como subdiretor até finais de 2005. Entre 2003 e 2006 foi membro do Conselho da AGAL sob a presidência de Bernardo Penabade. A finais de 2004 começou a trabalhar, com a Associaçom no campo editorial, coordenando várias ediçons e mudando a conceçom gráfica das coleçons CRIAÇOM e UNIVERSÁLIA. Foi vice-presidente da AGAL desde 2009 e primeiro diretor da ATRAVÉS | EDITORA, selo editorial da AGAL. Foi colaborador da publicaçom mensal Novas da Galiza e atualmente colabora esporadicamente nos digitais Galicia Confidencial e Praza Pública.

 

+ Ligaçom relacionada

Actualidade da Língua no PGL

  • O pequeno é grande - 15,00 €
    thumb

    Um ensaio que aspira, portanto, a ser um ponto de partida, nom de chegada. Os professores Xoán Carlos Carreira e Emilio Carral procuram respostas para as perguntas...

  • O pequeno é grande - 15,00 €

    Um ensaio que aspira, portanto, a ser um ponto de partida, nom de chegada. Os professores Xoán Carlos Carreira e Emilio Carral procuram respostas para as perguntas chave: Quem habita hoje o meio rural?...

  • A instrução dos amantes - 15,90 €
    thumb

    «A morte é a única testemunha da paixão. Tem ciúmes dos corpos e queima- os devagar. Quando os corpos se entregam ao império...