Associaçom Galega da Língua

AGAL lança um novo canal participativo de vídeos com dicas lingüísticas

Eduardo Maragoto - EmGalego

No passado 21 de dezembro a Associaçom Galega da Língua (AGAL) lançou no Twitter o consultório lingüístico @emgalego, que vai caminho já das quatrocentas pessoas seguidoras, mais de cem mensagens publicadas e várias dúzias de consultas respondidas. A partir de hoje, esta ferramenta vai-se complementar com um canal no Youtube em que se publicará ao menos um vídeo por semana. É convidada a participar toda pessoa que tiver um conselho lingüístico para compartilhar.

O presidente da AGAL, Eduardo Maragoto, anima a participar salientando que «para nós e para muitas outras pessoas esse conselho que nos dês é fundamental». Que tipo de conselho? «Pode ser umha palavra que começache a usar em certos ámbitos, umha frase que che pareceu importante para apoiar a tua expressom, umha pronúncia que começache a fazer bem a partir da pronúncia de determinadas palavras… o que quigeres», assinala Maragoto.

Os vídeos terám um máximo de duraçom de cento e quarenta segundos (dous minutos e meio) e poderám-se enviar ao endereço Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar . Umha vez recebidos, publicarám-se tanto na conta @emgalego como no canal do Youtube. Recebirám prémio todos aqueles conselhos que se encontrarem entre os dez mais votados no final de ano.

No vídeo de apresentaçom, o presidente da AGAL começa esta série de dicas com umha que visa corrigir a expressom «ao melhor» propondo alternativas como «se quadra», «se calha» ou «se calhar».

 

 
 

AGAL lança @emgalego, um consultório lingüístico no Twitter

Hoje, 21 de dezembro, dia de começo do inverno, a Associaçom Galega da Língua (AGAL) traz ar quente com o lançamento de umha ferramenta de correçom lingüística e, ao mesmo tempo, consultório. Trata-se de @emgalego, um perfil do Twitter gerido polo Conselho da AGAL, dirigido a qualquer pessoa que quiger aprofundar no conhecimento da língua galega, quer seja reintegracionista, quer nom.

Aproveitando a agilidade e a capacidade de interaçom desta rede social, o presente consultório visa complementar outro já existente, gerido pola Comissom Linguística da associaçom. O presidente da AGAL, Eduardo S. Maragoto, sinala entre as intençons deste produto «melhorar o nosso galego diariamente, um pouquinho cada dia, como se melhoram as cousas realmente importantes na vida».

Nesta conta vam-se publicar várias dicas diárias sobre léxico, sintaxe ou fonética em formatos de texto, imagem e vídeo. Ainda, através de @emgalego procurará-se responder com a maior rapidez possível as consultas formuladas por qualquer utente do Twitter.

A criaçom de @emgalego é a materializaçom de um dos pontos do programa eleitoral apresentado polo atual Conselho, presidido por Eduardo S. Maragoto, e situa-se dentro de umha série mais ampla de iniciativas que procuram umha maior presença do reintegracionismo na Internet.

Do Conselho da AGAL anima-se qualquer utente da língua galega a colaborar com esta iniciativa mediante o envio de dicas nos diversos suportes. Ainda, toda pessoa que quiger colaborar de maneira regular ou resporádica, poderá fazê-lo enviando umha mensagem eletrónica para secretaria(a)agal-gz.org.

 
 

Susana S. Arins: «’seique’ achega a justiça poética de fazer conhecidos os maldosos anónimos da repressão»

a nova obra de susana arins, seique, não é um poemário, nem um romance, nem um ensaio, nem uma pesquisa histórica… porém, recolhe alguma cousa de cada um desses géneros. «nasce de uma estória de vida insignificante, anónima, para abordar uma reflexão sobre a [des]memória e as maneiras de construir a história», recolhe a ficha do livro na página web da editora.

esta obra não pretende ficcionar uma história, tomando como base uns factos conhecidos de todas, «mas todo o contrário»: parte de uns factos desconhecidos, «seique por particulares, ou por insignificantes, seique», como a história de um fascista tão sem importância que nem sequer aparece nos arquivos, mas que sim existiu, «deixando, seique, marcas que as suas vítimas nom esquecem [ou sim]».

saibamos mais da obra polas próprias palavras da autora.

seique isto é uma entrevista à susana sánchez arins.

sei que vou responder o que me pete, seja verdade seja mentira… a ver em que dá a cousa.

seique é o novo livro da susana. que vão encontrar as e os leitores em seique?

as leitoras vão dar, de entrada, com uma estória de família, de um tio manuel que foi de meu pai e foi mui mau, seique; para de aí dar, passo a passo, com a história mais terrível do país: parto das maldades familiares para tratar do horror da repressão franquista. de passagem, encontrarão uma reflexão sobre a importância da memória e da dignidade na derrota. [sei que não é muito padrão o termo estória, mas se mia couto pode, eu sinto-me autorizada para o utilizar também, e ademais neste caso quadra estupendamente]

Continuar...
 
   

Ondjaki publica ‘Os modos do mármore’ com a Através Editora

Os Modos do Mármore - Ondjaki (destaque)

O escritor angolano Ondjaki decidiu publicar com a Através o seu quinto livro de poesia Os modos do mármore, sob a ideia gráfica da desenhadora Ana Varela. Esta obra está já disponível em livrarias ou

Continuar...
 
 
   

Pág. 1 de 57

Actualidade da Língua no PGL

  • seique - 13,00 €
    thumb

    seique não é um poemário, seique não é um romance, seique não é um ensaio, seique não é uma pesquisa histórica. porém, seique recolhe alguma cousa de cada um desses géneros. seique nasce duma estória de vida...

  • Diários - 14,00 €
    thumb

    Os textos que Carlos Calvo nos entrega neste livro som como estouros de estalitroques, como a vaca-loura diante da escavadora, como as bandeiras que aparecem nos...

  • Os modos do mármore - 15,00 €
    thumb

    Quinto livro de poesia do escritor angolano Ondjaki, primeiro com a Através Editora, sob a ideia gráfica da desenhadora Ana Varela.