Associaçom Galega da Língua

José Fernández: «As potencialidades que abre uma orientação reintegracionista não devem ser desprezadas por preconceitos ideológicos»

José Fernández López 1José Fernández López mantém uma relação estreita com o português desde criança. Hoje é arquivista na Corunha e mora em Arteijo. Gostaria de que as suas filhas tivessem a oportunidade de estudar português na escola.

És arquivista na Corunha mas moras em Arteijo. Qual é a situação da língua no teu âmbito profissional?

Trabalho na Universidade da Corunha como pessoal de administração e nela a língua em que se escrevem a maior parte dos documentos é o galego. Nos usos orais o castelhano é claramente maioritário.

O Plano de Normalização Linguística da Universidade, que está em vigor desde 2006, em geral, não alcançou os seus objetivos.  A prova mais evidente disto é que a docência em galego continua a ser aproximadamente a mesma que há 10 anos, 10%.

Como foi a tua chegada ao galego? Qual foi a tua relação com a língua desde criança?

Ainda que fui educado em castelhano, o galego sempre foi uma língua muito presente no me...

Continuar...
 
 

‘Percursos sem roteiro’, de Joám Facal, novidade da Através

Percursos sem roteiro (capa)Percursos sem roteiro, a mais recente novidade da Através Editora, recolhe as reflexons e os saberes de Joám Lopes Facal, um autor que impregna os seus textos da maturidade de quem já viveu muitos frentes de batalha e de paz. O prólogo começa assim:
Percursos sem roteiro, ao acaso, onde os passos nos levarem é o título que agrupa este maço de artigos que agora se graduam em dignidade de livro. Umha mancheia de textos avulsos, ordenados agora, filhos naturais e recentes do autor, serôdios portanto no seu ciclo vital. A motivaçom dos percursos empreendidos vem da vontade circunstancial de falar em voz alta que às vezes acomete qualquer um de nós, e desse fundo de experiências que a memória guarda e, talvez por cima de todo, das leituras apressadas ou demoradas que vamos sorvendo aos golos guiado polo gosto e o interesse.

Percursos sem roteiro divide-se em vários capítulos com as seguintes temáticas: Galaicidades, Escrito sobre a água, Longa língua e In...

Continuar...
 
 

David Álvarez: «Galiza é uma nação com uns interesses que requerem que tenha soberania e a inclusão no mundo cultural lusófono permite-nos exercê-la»

David Álvarez (AGAL Hoje)David Álvarez é da Corunha e estuda História em Compostela. No seu ambiente social sempre predominou o castelhano, a qual foi a sua primeira língua até que decidiu passar ao galego, idioma que sempre sentiu «como algo próprio, ainda que não o falasse». Quanto à sua adesão ao reintegracionismo, deve-se a uma «questão de estratégia política». Contudo, ir de Erasmus a Lisboa foi a cereja em cima do bolo para tornar definitivamente reintegracionista!

És neo-falante, da Corunha. No teu ambiente mais próximo sempre predominou o castelhano. Por que decidiste mudar para o galego? Como foi o processo?

Eu sempre senti o galego como algo próprio, ainda que não o falasse. Grande parte da minha família sempre foi galegofalante e portanto toda a vida o ouvi na casa. E depois, é claro, estava o Xabarín. Assim que mentalmente estava predisposto a o falar, já que a minha valoração dele era positiva. Só precisava de uma motivação, que num primeiro momento foi cul...

Continuar...
 
   

Álvaro Ordóñez ganha o aPorto sorteado pola AGAL e Praza Pública

aPorto 2015Álvaro Ordóñez é o ganhador do curso aPorto sorteado pola AGAL (entidade organizadora) e o diário Praza Pública. Caso o ganhador não puder usufruir o prémio, este seria concedido ao suplente, Xián Neto. Ao total participaram 29 pessoas no concurso, das quais 19 responderam corretamente todas as perguntas formuladas.

Sexta edição

Os aPorto, que este ano atingem sexta edição, são cursos de língua realizados no Porto, com uma semana de duração, que decorrem no verão e que incluem aulas de manhã e atividades culturais e conversas informais de tarde. As aulas decorrem na FLUP, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e as atividades culturais em diferentes pontos da cidade tentando mostrar o Porto que o turista comum teria dificuldade em encontrar e envolvendo-se com os cidadãos e as cidadãs que habitam a cidade invicta. Este ano, como novidade, está o aPorto Plus, focado para atualizar o...

Continuar...
 
 

AGAL e Praza Pública sorteiam um aPorto totalmente gratuito

aPorto 2015Chega a sexta ediçom dos cursos aPorto, organizados pola AGAL São cursos de língua realizados no Porto, com uma semana de duraçom, que decorrem no verão e que incluem aulas de manhã e atividades culturais e conversas informais de tarde. As aulas decorrem na FLUP, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e as atividades culturais em diferentes pontos da cidade tentando mostrar o Porto que o turista comum teria dificuldade em encontrar e envolvendo-se com os cidadãos e as cidadãs que habitam a cidade invicta. Este ano, como novidade, está o aPorto Plus, focado para atualizar o conhecimento sobre a sociedade portuguesa.

Sorteio de um aPorto

A AGAL, organizadora dos aPorto, e o diário digital Praza Pública, oferecem um aPorto, totalmente gratuito, que será sorteado entre as pessoas com mais acertos num quizz cujas perguntas e possíveis respostas se podem consultar <...

Continuar...
 
   

Pág. 1 de 50

Actualidade da Língua no PGL